Bem vindo ao site Porto Notícias, Sexta-Feira, 18 de Agosto de 2017
Notícias
Porto dos Gaúchos
Juara
Tabaporã
Novo Horizonte
Regionais
Estaduais
Brasil
Mundo
Política
Executivo
Legislativo


Se você já precisou da Polícia Militar de Porto dos Gaúchos, como você avalia o atendimento que teve?
Bom
Ruim
Ótimo
Péssimo

 Política
     
17 de Junho, 2017 - 05:56
Não serei um governador completo se não resolver o problema da saúde, diz Taques

Com uma dívida de R$ 162 milhões somente nos últimos meses, fora os R$ 300 milhões da gestão passada, o Estado enfrenta um grande caos na saúde pública. Conforme o governador Pedro Taques (PSDB), não há recursos suficientes para sanar todas as demandas. “A questão da saúde é falta de dinheiro, nós não temos dinheiro para fazer frente”, afirmou durante entrevista na abertura da Exponop em Sinop, na quarta (14).


Taques garantiu que trabalha para resolver os problemas e que em parceria com os deputados, prefeitos e bancada federal, busca recursos junto à União para amenizar a situação. Dos R$ 162 milhões, R$ 110 milhões já foram pagos, sendo uma das fontes de recurso a folha de pagamento dos servidores.


Uma reunião entre os representantes dos prefeitos, poderes, setor produtivo, servidores públicos, entre outros deve ser realizada para que possam encontrar uma saída para a situação caótica que a saúde enfrenta. “Não serei um governador completo se não resolver o problema da saúde”, dispara.


Ao ser questionado se as emendas provenientes do Fethab seria uma alternativa, o tucano assegurou que sim, mas que as prefeituras necessitam dos valores. “Já repassamos R$ 600 milhões em dois anos e quatro meses para as rodovias não pavimentadas, e entendemos a posição dos prefeitos.”


Caos no Nortão


Nos últimos dias a mídia tem mostrado a situação dos hospitais regionais em Mato Grosso. Ao todo são sete unidades. Ocorre que um em si ganhou destaque nacional. Em Sorriso, o ex-diretor técnico Roberto Satoshi até chorou em uma entrevista coletiva, ao relatar a falta de medicamentos, alimentação, atrasos nos salários, entre outras demandas. A diretora geral da mesma unidade Lígia Leite entregou o cargo e alegou desgaste físico, mental e pessoal. O caso foi o estopim para o governo admitir a dívida de R$ 162 milhões.


Em Sinop, o Hospital Regional passou a atender por regulação ou referenciado, ou seja, os pacientes que não forem encaminhados pelo Corpo de Bombeiros ou não passarem pela UPA 24h não são atendidos.


No mês passado índios bloquearam a MT-320 que dá acesso a Colíder em uma manifestação. Eles cobravam respostas sobre a falta de repasses ao Hospital Regional do município. A pediatria estava parada e os partos eram realizados em outros municípios. Contudo, após negociações, foi autorizada a contratação de médicos pediatras para a reabertura do setor na unidade.

Fonte: RD News
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 Mais Política
17/08/2017
15/08/2017
14/08/2017
09/08/2017
04/08/2017
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
Opiniões
Porto dos Gaúchos
Juara
Tabaporâ
Novo Horizonte
Regionais
Estaduais
Brasil
Mundo
Política
Executivo
Legislativo
Copyright © 2017 - Porto Notícias