Mãe relata momentos de desespero e faz alerta após filha ingerir planta tóxica no Médio-Norte

Uma moradora de Diamantino (126 quilômetros de Nova Mutum) viveu momentos de desespero, após a filha de dois anos ingerir a planta ornamental tóxica conhecida pelo nome popular de “Zamioculca”. Ao Só Notícias, Juliana Visolli, 26 anos, explicou que, em um momento de descuido, a criança colocou a planta na boca e, imediatamente, começou a passar mal. “A gente estava na casa de um colega. Foi muito rápido. Logo que a gente viu, ela começou a vomitar, chorar, entortar a boca. Foi um susto”.

Segundo Juliana, a criança foi levada para o Pronto Atendimento de Diamantino, onde foi medicada. Em seguida, foi transferida para Cuiabá para fazer mais exames. Após passar algumas horas em observação foi liberada pela equipe médica. “Agora ela está bem. Em Diamantino, fizeram limpeza no estomago e deram antialérgico. Em Cuiabá, foram feitos vários exames e constataram que não havia nada na corrente sanguínea. A planta causou várias feridas na boca e garganta”.

O caso aconteceu no último dia 11. Após voltar para Diamantino, Juliana usou as redes sociais para alertar outras mães sobre o caso. “Eu já tinha visto uma reportagem sobre esta planta. Às vezes, a gente não dá atenção. Eu postei para alertar, pois é algo que não quero para os outros. Depois que eu fiz a postagem, apareceram relatos (sobre intoxicação). Uma pessoa contou sobre um cachorro, da raça ‘pit bull’, que morreu após ingerir a planta”.

A Zamioculca (nome científico Zamioculcas zamiifolia) é uma planta da família Araceae, utilizada com fins ornamentais. Na internet, há referências sobre as propriedades tóxicas da planta. Um estudo conduzido em Campo Grande, no ano passado, constatou, com base em dados do Centro Integrado de Vigilância Toxicológica (CIVITOX), quatro casos de intoxicação no Mato Grosso do Sul, entre os anos de 2005 e 2015.

Fonte :

Notícias/Herbert de Souza

Deixe seu comentário: