Direção nega que mortandade de peixes no córrego Agua Boa tenha sido causada por confinamento de Novo Horizonte do Norte

A direção do confinamento Ramax, rechaça a possibilidade de que a morte de peixes no córrego entre a divisa de Juara e Novo Horizonte do Norte tenha sido causado por falhas no sistema de contenção de desejos da unidade. É o que afirmou a diretora administrativa Querlei Smaaniotto ao Porto Notícias.

A mortandade de peixes constatada no córrego Água Boa, na última segunda-feira (23 de setembro/2019) trouxe preocupação a população e as autoridades.

Em primeiro momento, o fato constatado foi atribuído ao confinamento Ramax que fica as margens da MT-338, entre Novo Horizonte do Norte e Juara. Mediante isso, a prefeitura de Juara através da secretaria municipal de Agronegócio e Meio Ambiente, pediu oficialmente providencias ao Ministério Público, que por sua vez acionou a Sema para que possa realizar analise in loco para apurar as causas do desastre ambiental.

A reportagem conversou com a diretora administrativa da unidade do confinamento Ramax, Querlei Smaniotto, que não acredita que o dano causado ao meio ambiente esteja relacionado ao empreendimento, conforme foi citado pela prefeitura de Juara em ofício encaminhado ao Ministério Público.

“Ficamos muito surpresos e preocupados com a repercussão que saiu na mídia regional, atentando a possibilidade de transbordo dos lagos de decantação do confinamento, que teriam lançado dejetos no córrego causando a falta de oxigenação e a morte dos peixes, pois jamais teríamos essa irresponsabilidade com o meio ambiente. Nos precavemos desse tipo de acidente seguindo todos os projetos feitos pelo engenheiro, e tudo está de forma que não cause nenhum dano ao meio ambiente.

A população, a mídia podem vir conhecer e verificar o que estou afirmando. Temos quatro lagoas de contenção (fotos abaixo), só uma está cheia até o momento e só depois que encher essas quatro é que a água vai pro córrego já tratada. Este ano estivemos em manutenção entre os meses de fevereiro a maio fazendo a limpeza dessas lagoas e adequando tudo através do projeto feito pelo nosso engenheiro ambientalista Guilherme Vendrametto, então acreditamos que não causamos esse dano ao meio ambiente”, afirmou Querlei.

Na quarta-feira, o prefeito do município de Novo Horizonte do Norte, acompanhado de uma comissão visitou o confinamento para ouvir o posicionamento da unidade, que gera dezenas de empregos diretos no município.

Fonte: Porto Noticias

Deixe seu comentário: