“Ele me chupou”: contratado para carpir quintal estupra menina de 9 anos em VG

Ele me chupou”. Isso é o que uma menina, de 9 anos, relatou à mãe no fim da tarde desta quarta (5), em uma casa na região Central de Várzea Grande, sobre um homem contratado para limpar o quintal de casa.

F.A.N., 44, aproveitou o momento em que a criança estava sozinha em casa, arrombou o portão, invadiu a residência e fez sexo oral nela, passou a mão no órgão genital e ejaculou no corpo da criança.

O crime ocorreu no sábado (1), mas somente veio à tona ontem, quando o homem voltou a rondar a rua como se nada tivesse acontecido e acabou preso pelos moradores e quase foi linchado por eles, se não fosse a Polícia Militar impedi-los.

Durante a confecção da ocorrência, a menina chorava muito. Ela estava com o pescoço todo arranhado.  Mesmo após cinco dias do crime, ainda apresenta várias escoriações pelo corpo e está em estado de choque. Já o agressor não negou o crime, mas também não deu detalhes.

Segundo relatos da mãe, ele foi contratado para limpar o quintal há alguns dias a trás. No sábado, sabendo dos horários em que a mulher não estaria em casa, foi até o local. Como a menina não aceitou abrir o portão, ele forçou a entrada no terreno e invadiu. Ameaçando a vítima de morte, abusou da menina. Ao terminar o ato, ainda disse que caso a menina contasse algo, ele voltaria e mataria ela e a mãe dela.

Vendo que desde sábado o comportamento da menina estava estranho, mas ela não falava nada, a mãe começou a perguntar e descobriu que o homem foi até a casa dela, no momento em que a mesma não estava. Ela falou para filha que já sabia o que tinha acontecido e a criança só chorou.

O homem voltou a rondar a rua e, de acordo com o boletim de ocorrência, a PM, em rondas na rua Pedro Pedrossian, foi acionada pela mãe da menina, que pediu ajuda. Ela relatou que a filha havia sido violentada e que o criminoso estava em fuga pelo bairro.

Junto com a mãe da vítima os policiais saíram em rondas pela região, quando, ao chegar na rua Clovis Huginey, encontraram um aglomerado de pessoas com o suspeito preso. Estava com várias escoriações pelo corpo. F.A.N. foi algemado e encaminhado à Central de Flagrantes.

Com ele havia sete fracos de protetor solar de marca internacional, mas que ele não soube dizer a procedência. Além de uma bicicleta branca, que não foi recebida pela Polícia Civil, devido a uma portaria interna, não explicada no BO.

No momento da confecção do BO, o bandido disse que não sabia o nome dele, nem dos pais e nem a data de nascimento dele, “possivelmente mentindo a identificação”. Entretanto após uma busca, os militares conseguiram descobrir que o homem tem registro de condução até a delegacia, mas não foi revelado por qual crime. O caso será encaminhado à delegacia da Mulher de Várzea Grande.
Fonte :

RD News/Bárbara Sá

Comments

comments