“Não quero idosos abandonados”, diz única parlamentar de MT a votar contra reforma da Previdência

Dos oito deputados da bancada de Mato Grosso na Câmara, apenas Professora Rosa Neide (PT) votou contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que trata da reforma da Previdência, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno na noite de terça-feira (06) por 370 votos a favor, 124 contra e uma abstenção, o texto-base da proposta de reforma da Previdência. Por se tratar de uma PEC, eram necessários ao menos 308 votos favoráveis.

A sessão durou cinco horas e meia. O texto-base aprovado terça-feira é igual ao aprovado no primeiro turno, em 10 de julho, quando 379 deputados votaram a favor e 131 contra.

Rosa Neide utilizou seu perfil no facebook para demonstrar sua indignação com a aprovação da PEC. Na publicação, a petista afirmou que é contra a reforma por não querer “idosos abandonados a sorte”, e afirmou que dormirá com a consciência em paz.

“Não à reforma da Previdência!!! Não quero idosos abandonados a sorte, quero um País com seguridade social. Durmo com a consciência em paz”, disse Rosa Neide na publicação.

Para concluir a votação em segundo turno e encaminhar o texto ao Senado, os deputados ainda precisam analisar os oito destaques apresentados pelos partidos para tentar retirar pontos específicos da proposta.

Para isso, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) marcou sessão para as 9h desta quarta-feira (07.08), com início da ordem do dia às 11h.

A mais cruel entre as reformas da Previdência já aprovadas no Congresso após a Constituição de 1988, dificulta o acesso à aposentadoria e reduz o valor dos benefícios. Confira algumas mudanças aprovadas:

. Para alcançar a aposentadoria, os homens deverão possuir idade mínima obrigatória de 65 anos e as mulheres 62 anos;

. Para que os homens tenham acesso a 60% do benefício terão de comprovar 20 anos de contribuição;

. Para que as mulheres tenham acesso a 60% do benefício terão de comprovar 15 anos de contribuição;

. Para ter direito a 100% da aposentadoria, tanto mulheres quanto homens terão de comprovar 40 anos de contribuição;

. Viúvas e viúvos que possuírem outra fonte de renda receberão de pensão apenas 60% de um salário mínimo;

. Servidores públicos além de terem a idade mínima obrigatória terão de comprovar contribuição inicial de 25 anos para receber 60% da aposentadoria. Para receber benefício integral terão de contribuir por 40 anos;

. As Forças Armadas foram protegidas por Bolsonaro e ficaram de fora dessa famigerada Reforma.

“Na prática, nenhum brasileiro conseguirá se aposentar com 100% do benefício. A maioria dos trabalhadores que passam boa parte da vida laboral desempregados, também não conseguirão comprovar tempo de contribuição mínima e não poderão se aposentar nem com 60% do valor do benefício. Essa reforma vai gerar exclusão social e aumentar a miséria entre os idosos”, criticou Rosa Neide. (Com Folha360)

 

Fonte :

Assessoria

Deixe seu comentário: