Home Tabaporã Quatro pessoas, entre elas criminoso condenado por assassinato da amante são indiciados por homicídio em Tabaporã

Quatro pessoas, entre elas criminoso condenado por assassinato da amante são indiciados por homicídio em Tabaporã

5 min ler
0

A Justiça de Tabaporã (90-km de Porto dos Gaúchos), acatou a denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado e levará ao Tribunal do Júri, Alzira Silverio Franceschini, Leticia Jheneffer Alves Freitas, Amilson Santos Pereira e Jader Hoffman Pereira pela morte de Roberto Cândido Mateus, 49 anos, ocorrido em outubro de 2019 na Estrada do Tatu, rural do município.

Amilson é o mesmo que foi condenado a 25 anos recentemente em júri realizado em Tabaporã, pela morte de Jaqueline dos Santos, de 24 anos, que segundo a denuncia do Ministério Publico e as provas nos autos era sua amante. Na época do crime, Amilson namorava publicamente com Leticia, que também é uma das denunciadas no crime de assassinato de Roberto Candido Mateus.

Já Alzira, era sogra da vítima que foi assassinada a tiros. O crime teria custado R$ 25 mil.

A denúncia

A Promotoria denunciou o grupo por homicídio qualificado pelo pagamento ou promessa de recompensa, por motivo torpe, com emprego de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima.

A denúncia foi assinada pela promotora Anízia Tojal Serra Dantas. Conforme o MPE, Alzira junto com Letícia, advogada da esposa de Roberto, e Amilson organizaram o crime. Alzira foi também quem forneceu o dinheiro para o pagamento pela morte do ex-genro.

Amilson fez o desconto do cheque do pagamento que seria efetuado ao seu primo Jader, pelo assassinato. Parte do dinheiro, R$ 5 mil, foi entregue antes do crime, durante um encontro no escritório de Letícia. Mais R$ 15 mil seriam pagos após a morte de Roberto.

O dia do crime

A Promotoria lembra que o inquérito policial narra que, no dia do crime, Jader foi até a estrada de acesso à fazenda onde a vítima trabalhava e aguardou Roberto.

Quando avistou a vítima, fez um sinal pedindo que ela parasse e então, efetuou os disparos, que atingiu o crânio, face e até a região cervical. Roberto não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O corpo foi descoberto depois que uma denúncia anônima foi feita à Polícia Militar, narrando que havia um homem coberto de sangue, dentro de um carro, na estrada do Tatu.

Após a morte, conforme a denúncia, Letícia foi quem deu a notícia à Alzira e avisou que a mulher não deveria falar sobre o crime com ninguém.

A motivação

O MPE destacou que o motivo torpe que resultou no crime. “Alzira arquitetou a morte de seu ex-genro, motivada pelo abjeto e repugnante desejo de que sua filha ficasse com a posse dos bens patrimoniais do ofendido após o divórcio do casal.”

A denúncia foi recebida pela Justiça no ultimo dia 19 de novembro.

Todos os denunciados estão presos. As mulheres na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, e os homens na Cadeia Pública de Porto dos Gaúchos.

PARTICIPE DO GRUPO DO PORTO NOTICIAS NO WHATSAPP

Fonte: Redação do Porto Noticias

Carregue mais postagens relacionados
Carregue mais por Porto Notícias
Carregue mais em Tabaporã

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =

Verifique também

Prefeitura de Porto dos Gaúchos vai implantar programa Porteira Adentro que visa beneficiar pequenos produtores

Pensando no pequeno produtor rural, que muitas vezes não tem condições de arcar com a manu…