Home Ultimas Notícias Artigo: ENEM 2021 – apesar da interferência do governo prova mantém metodologia crítica

Artigo: ENEM 2021 – apesar da interferência do governo prova mantém metodologia crítica

6 min ler
0

No primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2021, realizado domingo (21), os estudantes responderam questões das áreas de Ciências Humanas, Sociais e Língua Portuguesa. Também fizeram a redação. Nesse sentido, quero enaltecer o trabalho dos servidores do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), que apesar de terem sido obrigados a mudar 24 questões da prova devido ao controle ideológico do atual governo, conseguiram manter uma prova técnica.

Como coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) da Câmara dos Deputados, destinado a acompanhar a realização da prova do ENEM e investigar as denúncias feitas pelos servidores, estive no domingo do lado de fora de locais de prova, em Cuiabá, Mato Grosso e pude verificar que a chegada dos estudantes ocorreu normalmente. Em todo País a prova ocorreu sem grandes intercorrências. Entretanto, precisamos apurar relatos de troca de aplicadores do exame, por supostamente não terem sido aprovados pela Polícia Federal.

Após a realização da prova pudemos verificar que as questões abordaram as temáticas indígena e negra no Brasil, a questão da escravidão, do racismo, das minorias, e da realidade social do País. A redação tratou da questão do acesso ao registro civil no País. Ou seja, apesar da relatada interferência externa, e da mudança de questões, os servidores do INEP mantiveram-se fiéis ao Banco Nacional de Itens (BNI), para confecção da prova e trouxeram um tema de redação condizente com a realidade atual.

Apenas 3,1 milhões de estudantes se inscreveram para realizar o ENEM 2021, número muito abaixo dos 7,8 milhões de inscritos em 2013, recorde do exame, e bem abaixo dos 5,8 milhões de 2020. Somente em Mato Grosso, houve uma queda de 30% de inscritos este ano, se compararmos com 2020.

A ausência de estudantes que se inscreveram e não foram realizar a prova no domingo também é uma preocupação. De acordo com o próprio Ministério da Educação, a abstenção foi de 26%.

Apesar do ministro Milton Ribeiro ter dito à imprensa que o ENEM foi um sucesso e que não houve interferência do governo, pudemos observar que as questões não abordaram o tema da pandemia de Covid-19 e da volta da fome ao País. Muitos estudantes não se inscreveram por não terem tido aulas online, devido à ausência de investimento público.

Contudo, a metodologia crítica da prova foi mantida. Por isso, reforço que apesar das bravatas de Bolsonaro, os servidores garantiram a segurança da prova. O presidente da República deixou a sociedade preocupada e os estudantes apreensivos, mas a vigilância dos servidores do INEP, da Câmara dos Deputados e da sociedade garantiram a integridade do ENEM.

Sigamos todas e todos atentos. E após a realização do último dia de prova no próximo domingo (28) daremos continuidade as investigações para identificarmos os responsáveis pela tentativa de interferência no ENEM e fragilização do INEP.

Professora Rosa Neide

Deputada Federal (PT-MT)

Carregue mais postagens relacionados
Carregue mais por Porto Notícias
Carregue mais em Ultimas Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =

Verifique também

Prefeitura de Porto dos Gaúchos vai implantar programa Porteira Adentro que visa beneficiar pequenos produtores

Pensando no pequeno produtor rural, que muitas vezes não tem condições de arcar com a manu…