Professores de Juara aderiram a paralisação e fizeram manifestação na Praça dos Colonizadores.

Os profissionais da educação paralisaram suas atividades nesta quarta-feira, 15 de maio, em Juara seguindo orientação de outras entidades sindicais Mato Grosso afora. A Praça dos Colonizadores foi o palco das manifestações.

A Reforma da Previdência e o contingenciamento de recursos para as instituições federais de ensino superior foram assuntos da pauta.

Vale ressaltar que o corte de recursos para as universidades foi de 30% para as despesas discricionárias – não obrigatórias – o que equivale a 3.5% sobre o orçamento total do MEC.

Para a professora Renata Lucia, da Escola Estadual Nivaldo Fracaroli, os pais devem ficar ao lado dos professores e não defender as mudanças que o governo propõe.

“Nossas escolas estão sucateadas, professores desmotivados. As famílias precisam abraçar a causa dos professores e não defender o que os governantes tentam nos impor. Reage sociedade, nossa luta e pelos filhos de todos e pelo futuro da educação no Brasil. Queremos avançar, mas com qualidade” disse.

Alexandre Colinsque, da Escola Estadual Iara Maria Minotto Gomes disse que “É impossível alguém permanecer aos 65 anos em sala de aula esperando que chegue a sua aposentadoria. Esta Reforma da Previdência pode até ter alguns pontos positivos, porém vamos pagar muito caro se ela for aprovada pelo Congresso Nacional” observou o professor.

No início da manifestação foi servido um café para os presentes, alguns profissionais usaram o microfone de um carro de som para justificar a paralisação e logo em seguida a manifestação foi encerrada com o presidente da subsede do SINTEP, Wagner Fanini agradecendo a presença de todos.

 

Fonte :

Grupo Amplitude/Paulo Becker

Deixe seu comentário: