Em entrevista, químico da Porto Ambiental volta a atestar qualidade da Água distribuída na cidade de Porto dos Gaúchos

A Porto Ambiental, concessionaria de Água e Esgoto de Porto dos Gaúchos, convocou entrevista coletiva, onde o químico responsável da empresa votou a atestar a qualidade de água distribuída na cidade.

A entrevista foi convocada após questionamentos feitos por vereadores na última sessão não câmara, quando levaram para a tribuna dúvidas levantadas por munícipes sobre a qualidade da água, principalmente a cor deixada nos alumínios após a fervura, e uma aparência esbranquiçada nas mãos após o manuseio da água.

O químico Guilherme Vendrametto explicou que isso se deve ao fato de ter tido a mudança do fornecimento de água de rio para agua de poço, e pelo fato de muitas pessoas estarem acostumadas com a água de rio, que tem uma característica diferente da agua de poço.

“Toda água vem do solo, então ela vai dissolver sais minerais presentes no solo e esses sais estarão presentes na água. Uso como exemplo a agricultura, tem lugares que precisa adicionar calcário no solo para plantar, e tem lugares que não precisa. A mesma coisa é a água, você nunca vai encontrar duas águas iguais, e as vezes as pessoas estão sentindo características diferentes nas duas águas que abastecem a cidade hoje, que é água do rio Arinos e água do poço que ainda estamos em fases de testes, e volte e meia bombeamos água do rio ou do poço pra abastecer a cidade, e ambas tem características diferentes”, explicou Vendrametto.

O químico voltou a frisar que a água de poço, distribuída tem muito menos produtos químicos; “quando era só água do rio precisávamos usar sulfato de alumínio, barrilha e outros produtos pra deixar a água dentro dos padrões de uso, e com a água do poço recém construído só usamos o cloro, uma vez que ela é muito mais pura”, afirmou.

Quanto a coloração que fica no alumínio após a fervura da água, Guilherme disse que não faz diferença nenhuma para o consumo, uma vez que conforme já ressaltado, água está dentro dos padrões de qualidade, e isso se deve aos sais minerais diferentes que contem em água de poço, diferente dos de água do rio.

“Mas todos os sais minerais e toda a água, tanto a do rio como a do poço estão dentro dos parâmetros, e isso da panela ficar escura, é apenas uma reação de algum sal mineral com o alumínio da panela, mas não é prejudicial à saúde de ninguém, podem ficar tranquilos, pois como já disse a água está dentro dos padrões. Temos todas as analises, laudos, tanto feito por nós vinte quatro horas por dia, como de laboratórios terceirizados em Cuiabá e São Paulo, e ainda tem a vigilância sanitária local que faz analises, coleta água na cidade e faz a contra prova pra ver se o que falamos é verdade. Quanto aos questionamentos dos vereadores, somos solitários e de acordo, pois é importante que tanto a vigilância e a secretaria de saúde fiscalizem nosso trabalho, pra não ficar só no que falamos, e isso é ótimo que eles também podem atestar pra população a qualidade da água que fornecemos”, finalizou Guilherme Vendrametto.

Fonte :

Porto Noticias

Deixe seu comentário: