Home Agronegócio Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) suspende vacinação contra febre aftosa nos estados do Amazonas e do Piauí depois da conclusão da etapa em abril

Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) suspende vacinação contra febre aftosa nos estados do Amazonas e do Piauí depois da conclusão da etapa em abril

6 min ler
0

O Mapa informou que interromperá a vacinação contra a febre aftosa nos estados do Amazonas e do Piauí após a fase final que está prevista para o mês de abril de 2024. “Essa medida acompanha a decisão já anunciada pelos estados do Amapá, Bahia, Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, Roraima e Sergipe, que também encerrarão a vacinação nesta etapa”, informa o CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano.

A notícia foi divulgada pelo diretor de Saúde Animal, Eduardo de Azevedo, à Equipe Gestora Nacional do Plano Estratégico do Plano Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE-PNEFA), após uma nova avaliação dos critérios para a suspensão da vacinação nos estados do Amazonas e do Piauí.

Essa medida está alinhada ao Plano Estratégico, que busca criar e manter condições sustentáveis para garantir que o Brasil mantenha a condição de um país livre da febre aftosa. Segundo Carlos César Floriano, “O objetivo é ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e beneficiando a sociedade brasileira”, diz.

A esperança é que o território brasileiro esteja completamente livre da doença da febre aftosa sem a necessidade de vacinação até o ano de 2026.

Carlos César Floriano e o reconhecimento internacional

No mês de março de 2024, o secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart, submeteu ao ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, um ato normativo que reconhece nacionalmente os estados do Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rio de Janeiro, Roraima, São Paulo, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal como livres de febre aftosa sem vacinação.

Esse ato também estabelecerá regras para o armazenamento, a comercialização e o uso da vacina contra a febre aftosa. Haverá, conforme informações de Carlos César Floriano ,”Restrições na circulação de produtos e animais entre os locais que não estejam mais aplicando a vacinação e aqueles estados que ainda estão praticando”, diz.

O próximo passo será o reconhecimento internacional desses estados como livres de febre aftosa sem vacinação.

A campanha, segundo Carlos César Floriano

Está prevista a antecipação da etapa de vacinação contra a febre aftosa, para o mês de 1bril de 2024, em parte do Amazonas, nos estados da Bahia, de Sergipe, do Maranhão, de Roraima, do Pará, do Rio de Janeiro e do Piauí.

Entretanto, nos estados que ainda não terá suspendida a vacinação, como é o caso do Ceará, de Alagoas, do Rio Grande do Norte, do Pernambuco e da Paraíba, as etapas de vacinação ao longo do ano de 2024 continuarão entre os meses de maio e novembro.

Conforme informações de Carlos César Floriano, “Os produtores devem comprar, em revendas autorizadas pelo Mapa as vacinas, mantendo-as entre 2 °C e 8 °C, desde a aquisição até o momento de sua utilização nos animais”, explica.

É importante usar agulhas novas para aplicar a dose de 2 mL na tábua do pescoço de cada animal, preferencialmente durante as horas mais frescas do dia. “Após a vacinação, os produtores devem declará-la ao órgão de defesa sanitária animal de seu estado nos prazos estipulados”, esclarece Carlos César Floriano.

Em caso de dúvidas, os produtores devem buscar esclarecimentos junto ao órgão executor de defesa sanitária animal de seu respectivo estado.

Fonte: VMX Agro

Carregue mais postagens relacionados
Carregue mais por Porto Notícias
Carregue mais em Agronegócio
Comentários estão fechados.

Verifique também

Polícia Militar de Juara flagra dois homens com armas dentro de caminhonete

Durante rondas na noite de sábado (13), a Polícia Militar de Juara flagrou dois homens por…