Médico veterinário da prefeitura de Porto dos Gaúchos faz alerta sobre proliferação de caramujos africanos.

Com o período das chuvas, além do temível mosquito transmissor da dengue, chikungunya e outras doenças, os caramujos africanos também tem tomado conta dos quintais das residências e de lotes vazios em Porto dos Gaúchos.

Em conversa com o Porto Notícias, o médico veterinário da secretaria de Agricultura de Porto dos Gaúchos, Dr. Tiago Bartolo Romero, ele alertou a população sobre os riscos que o caramujo traz a saúde dos humanos, que muitas vezes com a preocupação com o mosquito Aedes Aegypti ficam esquecidos.

“As principais doenças causadas pelo caramujo são a esquistossomose, popularmente chamada de barriga d’água ou mal do caramujo, fasciolose e meningite eosinofílica, que podem atingir as pessoas através do contato com as secreções dos caramujos, e  ainda hospedam um verme causador da Angiostrongilíase, doença que pode levar a morte por perfuração intestinal, peritonite e hemorragia abdominal. Os caramujos estão se reproduzindo muito pela falta de predadores, e se alimentam de plantas, podendo comer até mesmo as tintas das casas”, alertou Thiago.

A transmissão também pode ocorrer pela ingestão de hortaliças e frutas, contaminadas pela larva do bicho. Eles ingerem fezes de roedores, e adoram terreno baldios sujos, principalmente se forem utilizados locais sem a limpeza adequada.

Para destruí-los, protejam as mãos, coloquem os caramujos em um balde com água e bastante sal de cozinha, até que parem de se mexer. Depois, quebrar as conchas para que a água da chuva não fique nelas e depois por no lixo ou enterrar. Já os ovos dos moluscos, pequenos e de cor clara e duros, devem ser destruídos em água fervente antes de ser jogados no lixo.

“Na nossa cidade tem uma alta infestação desses caramujos, e acho interessante as pessoas ficarem informadas sobres o assunto”, relatou o Thiago.

Sobre o caramujo.

No Brasil muito raramente há relatos de doenças causadas por caramujos mas em outros países as doenças são mais frequentes. A principal diferença é que geralmente os caramujos aqui encontrados não contém os parasitas necessários para transmitir doenças, embora seja recomendada sua eliminação.

A infecção pelas doenças causadas pelos caramujos pode acontecer ao ingerir esses animais crus ou mal cozidos, ao consumir alimentos ou entrar em contato direto com as suas secreções. Além disso, no caso da esquistossomose, não é necessário ter contato direto com o caramujo ou com as suas secreções, basta estar em um ambiente com águas poluídas, uma vez que o caramujo libera a forma infectante do parasita na água.

Para evitar as doenças causadas pelo caramujo é recomendado não consumir sua carne, não tocar nele e lavar muito bem todos os alimentos que possam ter entrado em contato com estes animais ou com suas secreções. Se tocar num caramujo ou em suas secreções é recomendado lavar bem a região com água e sabão.

Além disso, deve-se lavar muito bem as frutas e verduras com água e depois deixa-las de molho durante 10 minutos, totalmente cobertas, numa mistura de 1 litro de água com 1 colher de água sanitária.

É importante também evitar os ambientes que possuem caramujos e realizar a limpeza de quintais e hortas que possam estar infestados. No momento da limpeza é recomendado evitar o contato do caramujo com as mãos utilizando luvas ou caso plástico. É importante também recolher os ovos que costumam ficar semienterrados. O que for recolhido, deve ser colocado em um recipiente e submerso em uma solução com hipoclorito de sódio por cerca de 24 horas. Depois, a solução pode ser descartada e as conchas colocadas em um saco plástico fechado e descartadas no lixo comum

Fonte:
Redação do Porto Noticias

Comentários

comentários

WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para lhe atender
👋 Olá, como posso ajudar?