Home Agronegócio Chuvas dificultam colheita e Aprosoja quer declaração de calamidade pública em Porto dos Gaúchos

Chuvas dificultam colheita e Aprosoja quer declaração de calamidade pública em Porto dos Gaúchos

5 min ler
0

Os agricultores da região de Porto dos Gaúchos estão enfrentando dificuldades para a colheita da soja este ano. A safra que começou com atraso por falta de chuva, agora tem dificuldade justamente pelo excesso dela, que tem prejudicado a colheita, causando avarias como umidade nos grãos e ainda dificultando a logística do transporte devido as condições das estradas rurais.

Outra preocupação dos produtores, é que como houve atraso para o início da safra com a falta de chuva, agora a janela de plantio para o milho pode ser apertada, devido ao atraso para a colheita da soja devido a chuva que tem caído constantemente. Estas deficiências podem gerar incapacidade de honrar compromissos financeiros assumidos, e causar endividamentos.

Diante desse cenário, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso – APROSOJA, Núcleo do Vale do Arinos, pleiteia um decreto com declaração de Estado de Calamidade Pública no município de Porto dos Gaúchos.

O pedido consta em oficio encaminhado pelo delegado Coordenador da APROSOJA local Orivaldo Nunes Bezerra, ao prefeito de Porto dos Gaúchos, Vanderlei de Abreu, com cópia também aos prefeitos dos municípios de; Juara, Tabaporã, Novo Horizonte do Norte e Juína, que são agregados ao Núcleo sediado em Porto dos Gaúchos.

A associação que representa os produtores de soja e milho, justifica a necessidade do decreto de situação de Calamidade Pública em decorrência das chuvas ininterruptas que têm gerado prejuízos para a atividade agrícola, que é fundamental para a economia do município.

No ofício, o Núcleo da APROSOJA pede ao prefeito de Porto dos Gaúchos urgência na adoção da medida solicitada para minimizar o impacto econômico local.

Dados meteorológicos

Conforme dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária – IMEA, a colheita da soja safra 2020/21 apresenta um atraso de 32% em relação ao ano anterior, pela irregularidade nas condições climáticas que começaram já no início do plantio.

Análise técnica realizada pela APROSOJA mostra no pico da colheita um alto volume de precipitação em Porto dos Gaúchos, que entre 29 de janeiro e 26 de fevereiro acumulou 325 milímetros de chuva, situação que ocasiona prejuízos aos produtores e, consequentemente, à economia local.

As chuvas não tem dado trégua na região, registrando 73 milímetros de precipitação no recorte mais atualizado (entre 27 de fevereiro e 03 de março), seguindo tendência prevista pelo Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, que lançou no dia 02 de março de 2021 aviso meteorológico de chuvas intensas com perigo potencial na região que se encontra Porto dos Gaúchos.

Fonte: Porto Notícias

Carregue mais postagens relacionados
Carregue mais por Porto Notícias
Carregue mais em Agronegócio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 6 =

Verifique também

Datena critica voto impresso e descarta chapa com Bolsonaro

O apresentador José Luiz Datena criticou a atitude do presidente Jair Bolsonaro de querer …