‘Risco Brasil’ recua e se aproxima dos níveis registrados em 2013

O CDS (Credit Default Swap), também conhecido como “risco Brasil”, atingiu 125.816 pontos na 5ª feira (5.set.2019), após queda de 2.33%. O nível é comparável com os patamares registrados em 2013, quando o Brasil ainda tinha grau de investimento pelas principais agências de risco: Fitch, Moody’s e Standard & Poor’s.

Esta, porém, não foi a menor pontuação do ano. Em julho, o indicador registrou 125.131 pontos. Há, entre os investidores, perspectivas mais positivas em torno da economia brasileira, visto que o relatório da reforma da Previdência foi aprovado nesta 4ª feira (4.set) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. A expectativa do presidente da Casa, Davi Alcolumbre, é a de que a proposta seja votada em 1º turno no Plenário na próxima semana.

Mesmo que o texto aprovado na CCJ reduza o impacto fiscal em R$ 63 bilhões em 10 anos, segundo a equipe econômica, a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) paralela vai incluir Estados e municípios, ampliando o efeito das mudanças nas regras previdenciárias.

O mercado também ficou aliviado com declarações do presidente Jair Bolsonaro, que voltou atrás, e decidiu que o teto de gastos será mantido. Na 4ª feira (4.set), Bolsonaro havia sinalizado a possibilidade de revisão da Emenda Constitucional.

O mercado também avalia que alguns integrantes do Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos) estão mais favoráveis ao corte de juros, o que favorece investimentos em economia emergentes, como o Brasil. Reunião entre americanos e chineses para tratar sobre os conflitos no comércio internacional também acalmam os ânimos dos investidores.

De acordo com Pablo Spyer, economista-chefe da Mirae Asset, existe uma “benevolência global”, porque há 1 cenário de juros internacionais baixos. “Há muito mais propensão a tomar risco do que antes e há direcionamento de recursos para países emergentes. No Brasil, porém, os estrangeiros ainda acompanham o andamento da reforma da Previdência”, disse.

A mínima histórica do CDS foi registrada em maio de 2007, quando marcou 62.167 pontos.

OTIMISMO NO MERCADO
O Ibovespa, principal índice da B3 –Bolsa de Valores de São Paulo–, também repercutiu o otimismo internacional e avançou 1,03% nesta 5ª feira (5.set), cotado aos 102.243 pontos. O dólar teve leve alta de 0,11%, e registrou R$ 4,109.

O discurso do presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, em querer diminuir os depósitos compulsórios dos bancos também animou o mercado. Para ele, o nível é elevado no Brasil, e que é preciso estimular o mercado de crédito.

Fonte :

Poder 360

Deixe seu comentário: