Lula recusa semiaberto: ‘Não troco minha dignidade pela liberdade’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu nesta 2ª feira (30.set.2019) não fazer pedido à Justiça para progressão ao regime semiaberto. A informação foi confirmada por 1 de seus advogados, Luiz Carlos da Rocha.

O petista se reuniu com advogados no início da tarde de hoje na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde está preso desde 7 de abril de 2018.

Lula foi condenado a 8 anos, 10 meses e 20 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso tríplex do Guarujá (SP).

A decisão veio 2 dias após o ex-presidente cumprir 1/6 da pena, tempo necessário para ter direito ao benefício de cumprir a pena em prisão domiciliar. E 3 dias após a força-tarefa da Lava Jato no Paraná se manifestar a favor da saída de Lula da prisão.

Os procuradores alegaram “bom comportamento” e “iminência” de cumprimento temporal. Também pediram a dispensa do pagamento da indenização. “Trata-se de direito do apenado de, uma vez preenchidos os requisitos objetivos e subjetivos, passar ao cumprimento da pena no regime mais benéfico”, afirmaram.

Apesar da manifestação, Lula não voltou atrás de sua decisão de se recusar a deixar a prisão, pois pretende ir para casa somente depois de eventual absolvição ou anulação da sentença. Também rechaça a possibilidade de uso de tornozeleira eletrônica.

Em carta, o ex-presidente disse que não aceita “barganhar” os seus direitos e sua liberdade.

Fonte :

Poder 360

Deixe seu comentário: