Home Política Barbudo quer aprovação de projeto que regulamenta prática da caça esportiva de animais no Brasil.

Barbudo quer aprovação de projeto que regulamenta prática da caça esportiva de animais no Brasil.

5 min ler
0

O deputado federal Nelson Barbudo (PSL) rebateu as críticas da oposição a respeito do projeto de lei de sua autoria que visa regulamentar a prática da caça esportiva de animais no Brasil. Para ele, a matéria irá beneficiar principalmente os produtores do País.

De acordo com Barbudo, a oposição estaria espalhando notícias falsas de que ele estaria tentando liberar a caça indiscriminada, inclusive usando uma foto dele abatendo uma onça pintada.

Barbudo afirmou que o texto prevê que toda ação será regulamentada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“O nosso projeto é para regulamentar a caça. Não é simplesmente o projeto ser aprovado que cada um vai pegar uma espingarda e sair dando tiro e matando pomba, perdigão, queixada, cateto, onça… Oras, isso não existe no mundo de hoje, onde todos queremos preservar”, rebateu.

“Usaram uma foto minha abatendo uma onça pintada. Ninguém é menino, ninguém é hipócrita. Vocês acham que eu iria fazer um projeto para liberar a matança de onça pintada? Claro que não. O Ibama regulamentará”, acrescentou.

Segundo ele, o projeto visa “proteger” os produtores do país de animais que estariam se reproduzindo de forma desordenada na natureza. Dessa forma, o Ibama regulamentaria o abate do excedente.

“Por exemplo, o javali no Rio Grande do Sul está causando danos incomensurável aos produtores. O javali não é vacinado e pode ser portador de doenças para suínos. Imagina se a doença entrar no Rio Grande do Sul, com os milhares de produtores de carne suína que existem? O prejuízo seria de bilhões”, disse.

Outro caso citado por Barbudo foi a de búfalos em Rondônia que, segundo ele, trata-se de uma situação atualmente “fora de controle”, que poderia trazer prejuízo aos produtores mato-grossenses.

“O Búfalo, não sendo vacinado, pode trazer a febre aftosa aos bovinos. Se chegar a aftosa novamente no Brasil, quebra a pecuária mato-grossense, quebra a pecuária nacional”, citou.

“Se não houver o controle, a doença vai chegar e vai haver uma estagnação da exportação de carne bovina. Imagina o Brasil sem exportar a carne bovina para China? O tamanho do prejuízo. Nós estamos preocupados é com a sanidade do nosso rebanho bovino. E para isso precisa haver o controle. E não há controle sem abate”, completou.

O projeto polêmico não conseguiu passar pela última votação, segundo o deputado, em razão de uma “manobra da esquerda”, mas volta para a pauta este ano, após a retomada dos trabalhos no Congresso Nacional, em 2 de fevereiro.

 

Redação com Mídia News

Carregue mais postagens relacionados
Carregue mais por Porto Notícias
Carregue mais em Política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − nove =

Verifique também

Mulher morre ao levar choque de celular que estava carregando em MT

Dalvirene Ribeiro da Silva, 38 anos, morreu após levar um choque elétrico de celular que e…